Atendimento on line a clientes
Destaque! Nossa professora e membro fundadora da ONG SOS Mulher, Cláudia Guerra deu sua opinião sobre o assunto do momento. Confira!
12 de dezembro de 2014

Na última terça-feira (09/12), percebemos a repercussão sobre o programa Altas Horas com a presença das cantoras Anitta e Pitty falando sobre um tema muito peculiar, liberdade sexual feminina.

Pedimos a opinião da nossa querida professora e membro fundadora, voluntária e da diretoria da ONG SOS Mulher e Família de Uberlândia, Cláudia Costa Guerra sobre o tema tomando como paráfrase a discussão entre Anitta e Pitty.

“Não há certo ou errado, no Altas horas fica nítida e visão diferente de ambas: Anitta e Pitty. Como não sou neutra e tenho uma trajetória no movimento social feminino e na discussão de gênero, identifico-me mais com o da Pitty.
Anitta com argumentos mais do senso comum, talvez por não ter tido acesso a leituras e práticas de resistência, acaba por naturalizar, essencializar e universalizar o masculino /feminino. Pitty, certamente pelo acesso a discussões, práticas e leituras mais aprofundadas, demonstra maior poder de argumentação e entendimento de que o gênero masculino e o feminino/feminino e masculino e outras possibilidades do ser são construtos sociais, históricos e culturais permeados por relações de poder.
Ao invés de eu me manifestar simplificadamente e em tempo curto, convido vocês a lerem os textos de Butler, Scott e Swain e refletirem criticamente sobre o tema e com aprofundamento, o que não foi feito no Programa Altas Horas.
Afinal, “cada ponto de vista é a vista de um ponto” e “cada um escolhe conforme seu capricho, ilusão e miopia. Abração.
Cláudia Guerra”

E como despertou interesse dos alunos segue também os textos para leitura. Vale a pena dar uma olhada! #professoresamc #opiniãoderespeito #orgulhodeserEsamc

Link para leitura dos textos : http://issuu.com/gabrielasilvaf/stacks/f23dfd6308ff4427a798db3a59779049 

10665302_1522994724615915_6623083244015630086_n




Wik Agência Digital